Archives

  • 2018-07
  • 2019-04
  • 2019-05
  • 2019-06
  • purchase E64d Devemos destacar tamb m o que entendemos por I

    2019-04-15

    Devemos destacar também o que entendemos por Intelectuais, ten-do como suporte para purchase E64d construção do conceito os autores Carlos Altamirano e Jean-François Sirinelli. O termo intelectual, de acordo com Sirinelli, traz em si duas acepções de natureza sociocultural, sendo uma mais ampla, marcada pela noção de “mediador” cultural, abrangendo escritores, jornalistas, professores secundários, eruditos etc., e outra mais restrita, amparada na noção de engajamento na vida social. Na acepção de Carlos Altamirano, os intelectuais são atores do debate público, que transmitem publicamente seu pensamento, podendo atingir desde círculos restritos de letrados até setores mais amplos da sociedade. No entender dos dois auto-res, a condição de intelectual necessita do reconhecimento e legitimidade adquiridos junto a seus pares e à sociedade em geral. Acreditamos, assim, que os intelectuais colaboradores da revista Araucaria de Chile foram mediadores culturais, produtores e transmissores de ideias engajados na vida social da América Latina, detentores de posicionamento político, participantes do debate público com capacidade interpretativa da realidade na qual estavam inseridos. Todos os intelectuais que publicaram na revista, em alguma medida, foram tocados pelo contexto das ditaduras militares no Cone Sul e pela condição exílica. Assim, no que se refere ao exílio, a partir da concepção de Ángel Rama, concebemo-lo como uma condição que submete àqueles que a sofrem a processos de transculturação, a experiências sociais violentas e a rudes mutações em razão da obrigatoriedade de viver em ambientes culturais e de sociabilidade distintos do seu ambiente de origem. Comungamos também da perspectiva de exílio presente em Edward Said, para quem a dificuldade do exilado não consiste somente em ser forçado a viver longe do seu país, mas, sobretudo, em ter de viver com a lembrança de que se encontra no exílio, situando-se em um estado intermediário no qual não está integrado ao novo ambiente social nem totalmente liberto do seu lugar de origem. Concebemos, portanto, a experiência do exílio como vivências de padecimento tanto individuais quanto coletivas, o que, por conseguinte, interfere nas produções intelectuais forjadas sob essa condição. Marcada por esses fatores gerados pelo exílio e criada como reação a eles, compreendemos a revista Araucaria de Chile a partir de três características essenciais: como bem cultural de resistência política; como espaço de socialização de intelectuais que visavam diminuir a lymph sensação de isolamento e solidão provocada pelo exílio; e, por fim, como um meio para a veiculação de ideias e debates acerca de assuntos políticos e culturais distintos. Araucaria de Chile atuou no sentido de organizar-se enquanto oposição política à ditadura de Augusto Pinochet, mas serviu também como meio de expressão das artes visuais e da literatura chilenas, bem como discorreu sobre assuntos políticos diversos. Constituindo fonte/objeto privilegiado para o estudo da História Intelectual, as revistas são comumente dirigidas por um coletivo, e “informan sobre las costumbres intelectuales de un período, sobre las relaciones de fuerza, poder y prestígio en el campo de la cultura”. Nessa perspectiva, Regina Crespo afirma que as revistas são tradicionalmente o resultado de um projeto coletivo, representando, assim, o ponto de vista de um grupo de intelectuais, sua intervenção ideológica na arena político-cultural. Para Jean-François Sirinelli, elas tornaram-se lugares preciosos para a análise do movimento das ideias, assim como podemos concebê-las como espaços de sociabilidade intelectual. As revistas estimularam a construção de redes de sociabilidade na medida em que materializaram em papel os pensamentos de grupos intelectuais e artistas com propostas culturais e políticas comuns. Segundo Eduardo Devés-Valdés, a real constituição de uma rede de sociabilidade intelectual demanda frequência e densidade em relação à comunicação de seus membros. Entre as formas de contato, comunicação e estreitamento dos laços intelectuais estão as revistas, fundamentais para a compreensão da vida intelectual de um dado período. No entanto, embora as redes de sociabilidade remetam à associação de intelectuais por cumplicidade e afinidade de ideias, elas não excluem a pluralidade de pensamentos dentro dos grupos. Tampouco eliminam as “batalhas internas e externas, tanto políticas quanto culturais”. No que diz respeito à revista Araucaria de Chile, podemos afirmar que os laços de sociabilidade entre os intelectuais que nela escreveram foram reforçados em eventos organizados para comemorar seu aniversário, por exemplo. Saraus, conferências e atos foram realizados, contando com a presença de membros do comitê editorial, colaboradores e leitores.